Buscar por:  

Assine o RSS Notícias

Voltar 30/08/2017 - “A Voz da Indústria”

Urge revitalizar o parque industrial brasileiro

Alfredo Ferrari

Só há um caminhopara tornar a indústria nacional de bens manufaturados mais produtiva,eficiente e competitiva, acompanhando o nível dos mais avançados mercadosinternacionais: a revitalização de seuparque de máquinas-ferramenta, que beira uma idade média de 20 anos. Aacentuada queda nos investimentos nas últimas duas décadas exacerbou este dado.

A revitalizaçãodo parque industrial brasileiro terá como consequência o aumento da produção debens manufaturados, através do incremento do consumo interno, das exportações eda diminuição das importações, fortalecendo a sua economia. Medidas devem sertomadas no curtíssimo prazo para reverter este quadro, através de um profundoprograma de política industrial, consistente e de longo prazo. Deve ser umplano que estimule os empresários a investirem em equipamentos de modernatecnologia, além de métodos avançados do controle da produção. Dependendo dascaracterísticas produtivas de cada empresa, serão necessárias soluções quedeverão ser atendidas por equipamentos produzidos no país, assim como aquelesimportados, não disponíveis localmente, e que, por suas característicastecnológicas, venham completar tais necessidades e exigências de produção. Comoconsequência, muitas vagas de trabalho serão criadas a fim de atender asindústrias de manufatura e de máquinas e equipamentos, com mão de obraespecializada voltada às novas tecnologias.

   A indústria demáquinas-ferramenta brasileira já esteve entre os dez maiores paísesfabricantes destes equipamentos, ocupando, porém, em 2016, a 19ª posição,segundo o Instituto Gardner. Essa indústria teve o seu início no país há cercade um século e foi consolidada com enorme êxito em sua história, atendendo osmais exigentes mercados. Ela está preparada, aguardando o momento de um novociclo de desenvolvimento econômico e industrial para voltar a crescer.

O atualgoverno federal e os futuros governantes deverão priorizar os seus esforços, afim de estimular a produção eficiente de bens manufaturados, pois uma economiaforte não pode depender somente da produção de suas commodities. A indústria detransformação brasileira já representou, nos anos 80, mais de 20% do seu PIB,enquanto que hoje assinala o pífio índice próximo a 10% do PIB.

Para oBrasil se consolidar como uma grande nação, governo, empresários e todasociedade devem se unir e lutar para reverter o quadro atual. Parte da soluçãoestá na revitalização urgente do parque de máquinas brasileiro, para sercompetitivo e atender a cada necessidade de produção, com a aplicação das maismodernas tecnologias que levem a indústria nacional a ganhos efetivos deprodutividade, eficiência e qualidade.

Alfredo Ferrari éEngenheiro Mecânico, Vice-Presidente da Câmara Setorial de Máquinas-Ferramentae Sistemas Integrados de Manufatura da ABIMAQ. Esta matéria foi elaborada parao Canal de Conteúdo “A Voz da Indústria”

20/07/17

by vm2

ABIMAQ - Associação Brasileira da Indústria de Maquinas e Equipamentos.
2017 Todos os direitos reservados.

Av. Jabaquara, 2925 - Mirandopolis - CEP: 04045-902 - São Paulo/SP
Tel: (11) 5582-6375 - Fax: (11) 5582-6312
E-mail: csmf@abimaq.org.br