Buscar por:  

Assine o RSS Notícias

Voltar 24/08/2017 - Valor Econômico: Canal Dan

Setor sofre com retração nas vendas

Setor de bens de capital ainda sofre com retração nas vendas


Segunda maior consumidora de aço do Brasil, com 22,3% do total, de acordo com os dados mais recentes do Instituto Aço Brasil, a indústria de bens de capital, principal sinalizadora da retomada dos investimentos, não compartilha dos bons ventos que sopram no setor automobilístico, embora, como este, tenha amargado forte queda da produção após 2013. 

Segundo o IBGE, a retração acumulada em 2016 em relação a 2013 foi de 28,9%, só abaixo dos 45,3% do setor automotivo.

"A situação é muito ruim e nós achamos que parara de piorar", lamenta José Velloso, presidente executivo da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ). Velloso diz que o setor fechou o primeiro semestre com queda de 6,5% em relação ao mesmo período de 2016 e que, dos 35 subsetores que compõem a indústria de máquinas e equipamentos, apenas o de máquinas agrícolas deverá fechar 2017 no azul, com uma previsão de crescer 15%.

Máquinas para a indústria de petróleo e gás, do etanol, máquinas rodoviárias, para a indústria de cimento e mineração, papel e celulose e saneamento ambiental são alguns dos subsetores em dificuldades. Uma má notícia para a siderurgia, uma vez que o aço é a matéria-prima básica para a produção dessas máquinas.

Os dados da ABIMAQ mostram que, embora tenha crescido 5% em relação a maio, o consumo aparente de máquinas e equipamentos, expresso em reais constantes, caiu 44,2% em relação a junho de 2016 e fechou o primeiro semestre deste ano com queda acumulada de 26,2%. Tanto o consumo aparente quanto o faturamento do setor devem ficar este ano próximos à metade do que foi em 2013. Velloso estima que o faturamento fechará 2017 em torno de R$ 68 bilhões, contra R$ 121 bilhões em 2013. "A expectativa mais otimista é terminar 2017 igual a 2016."

De acordo com números do Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda), as vendas das suas associadas para o setor de máquinas e equipamentos industriais ficaram praticamente estáveis, passando de 169,9 mil toneladas para 170,6 mil toneladas do primeiro semestre de 2016 para o mesmo período deste ano. Já para a indústria de máquinas agrícolas e rodoviárias as vendas dos distribuidores passaram de 83,8 mil toneladas para 86,5 mil, um aumento de 3,2% ancorado no segmento agrícola.

Segundo a avaliação de Carlos Loureiro, presidente do Inda, o diagnóstico para a indústria de bens de capital é que ele parou de cair graças ao setor de máquinas agrícolas e a algum alento nas exportações, que cresceram 2,3% no primeiro semestre, de acordo com os dados da ABIMAQ. "Parou de cair, mas está com defasagem de 40% em relação a 2010."

Francisco Pessoa, da LCA Consultores, mostrou preocupação mesmo com a indústria de máquinas agrícolas, ponderando que este ano elas tendem a apresentar crescimento inferior ao de 2016 porque a safra 2017/2018 não deverá ter o mesmo impulso que teve em 2016/2017, obedecendo ao comportamento cíclico do setor. No conjunto, Pessoa avalia que a indústria de bens de capital (exceto caminhões e ônibus) pode ter algum crescimento no final deste ano, melhorando um pouco mais em 2018.

Velloso disse que as exportações, que em 2013 representavam um terço do faturamento do setor, já foram mais importantes na resistência à crise do mercado interno, tendo fechado 2016 com 44% do total, número que, segundo ele, não vai ser repetido em 2017, quando a expectativa é de que as vendas externas fiquem em 40% do faturamento total.

"Não há estímulo à exportação", disse, ressaltando que o governo não atendeu o pleito do Aço Brasil para elevar dos atuais 2% para 5% a alíquota do Reintegra, programa que devolve resíduos tributários sobre determinados bens exportados.

by vm2

ABIMAQ - Associação Brasileira da Indústria de Maquinas e Equipamentos.
2017 Todos os direitos reservados.

Av. Assis Brasil, 8787 - Bloco 3 - Térreo - CEP: 91140-001 - Porto Alegre - RS
Tel: (51) 3364-5643 - FAx: (51) 3347-8763
E-mail: srrs@abimaq.org.br