Buscar por:  

Assine o RSS

Voltar 23/08/2018 - Informaq Edição 224 - Agosto/2018

A PALAVRA DO PRESIDENTE

Reindustrialização: nosso compromisso para os próximos quatro anos

O Brasil está saindo, muito lentamente, da pior recessão de sua história que cortou pela metade o faturamento de nosso setor ao longo dos últimos cinco anos reduzindo margens das empresas, aumentando seu endividamento e destruindo empregos.

Este início de recuperação se dá num contexto complicado, tanto no ambiente externo que convive com a ameaça de aumento dos juros americanos e de guerras comerciais, quanto no ambiente doméstico onde as incertezas da sucessão presidencial deprimem a atividade econômica.

A pouco menos de dois meses das eleições a maioria dos candidatos ainda não apresentou seus planos de governo e muito menos o que pretendem fazer para o Brasil voltar a crescer. Falam, quando muito, em ajustar as contas públicas o que, embora necessária, está longe de ser suficiente para a retomada do desenvolvimento.

Há quem defenda a abertura ampla, geral e irrestrita como remédio universal sem atentar ao fato de que a história econômica do mundo moderno mostra que os países que se desenvolveram e se tornaram ricos usaram e protegeram a indústria como ferramenta básica de seu modelo de desenvolvimento. 

Em nosso documento endereçado aos presidenciáveis, e em todos os foros onde temos atuação, também incluída uma cadeira no CDES - Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do governo federal, bem co mo em nosso trabalho no Congresso via FPMaq - Frente Parlamentar da Indústria de Máquinas e Equipamentos nos temos defendido um modelo de desenvolvimento baseado na produção de bens e serviços sofisticados.

A condição necessária para tanto é o estabelecimento de um regime macroeconômico favorável à produção e ao investimento que garanta inflação baixa e estável, câmbio mantido competitivo ao longo do tempo, crédito abundante com juros reais compatíveis com nossos concorrentes internacionais. 

O saneamento das contas públicas e a reforma da Previdência se inserem nas medidas necessárias para tanto, mas elas  não garantem a retomada do crescimento. Para voltarmos a crescer precisamos da reforma tributária, da melhoria do ambiente de negócios com a eliminação da insegurança jurídica e simplificação das normas regulatórias e da retomada da capacidade de investimento do Estado. 

Os investimentos em infraestrutura e o aumento das exportações decorrente de crédito adequado e câmbio competitivo serão os motores para a retomada do desenvolvimento que irá permitir o fortalecimento e a modernização da indústria de transformação. Este processo de reindustrialização deverá ter como paradigma o novo modelo de produção representado pela “Indústria 4.0”.

É na defesa deste modelo de desenvolvimento, sintetizado pela reindustrialização e que possibilita a inserção competitiva do Brasil na economia mundial, que a ABIMAQ estará comprometida ao longo dos próximos quatro anos deste mandato que se inicia, junto com seus associados, sua diretoria, com a FPMAQ e com todos seus colaboradores.

Muito obrigado. 

João Carlos Marchesan
Administrador de empresas, empresário e presidente do Conselho de Administração da ABIMAQ
by vm2

ABIMAQ - Associação Brasileira da Indústria de Maquinas e Equipamentos.
2018 Todos os direitos reservados.

Rua: Santa Luzia, 735 - sala 1201 - Centro - CEP: 20.030-041 - Rio de Janeiro - RJ
Tel: (21) 2262-5566
E-mail: cseno@abimaq.org.br